quinta-feira, julho 27, 2006

ao que parece o tempo passa a gente esquece



parece sim
estamos
ainda mais
desolados

nos preparando

parece sim
que mercúrio
está retrógrado
e ainda mais

estático

parece que
buscamos
o imponderável
tocamos
o impalpável
enxergamos
o invisível

parece sim
estamos juntos
num lugar passado
e agora
estamos juntos
no futuro

parece que
o tempo
perdeu-me
e perdeu-se

parece que
o destino
destina-se
sempre
ao mesmo lugar

buscamos
reencontros

talvez

beber
muito
mais
água
até
ficarmos
totalmente
novamente
desnecessariamente
embriagados

Um comentário:

andré balbino disse...

ave, destino
de ave
almas vivas
nesse embarcadouro
ave, saudade
águas futuras
veio de brilhos
intensos
sorvedouro
de idéias
ave, destino, desvios
desvelo, descubro
dentro do ser
essa ânsia cria(doura)
dourando o rio
nesse (se) pôr